Incoerência

  • Autor: Eduardo Farah
  • 22/06/2016

 

Existem diferentes tipos ou dimensões da incoerência, que vai de aspectos mais grosseiros até os mais sutis. Nos primeiros, encontramos as coisas mais simples de se observar, em nós e nos outros, como a incoerência entre as regras, processos, determinações escritas e o que fazemos na prática. Temos também as incoerências entre aquilo que falamos e o que fazemos (discurso x prática), que faz com que haja um grande gap entre como nos percebemos e como somos percebidos pelos outros. E há ainda um tipo de incoerência mais sutil, que ocorre entre o que pensamos e sentimos, entre o nosso propósito e valores e como agimos de verdade. Normalmente esta incoerência mais sutil é a fonte de todas as outras.

Devido à nossa educação, um dos maiores desafios para enxergarmos as nossas incoerências são o orgulho e seus filhos, como a vergonha, a vaidade e a prepotência. Entretanto, se formos capazes de ir além desses impeditivos, perceberemos que a descoberta das incoerências é sempre um grande presente, pois abre a possibilidade real de mudança e, consequentemente, de novos caminhos e resultados.

O passo seguinte é buscarmos o alinhamento entre o que pensamos, dizemos e fazemos (ação). Somente quando for possível alcançar essa coerência e integridade é que poderemos realizar as nossas metas nesta vida, pois nos transformaremos em um raio de vontade, com uma capacidade de realização quase infinita.

Infelizmente, a maior parte da humanidade vive em um estado em que pensa uma coisa, fala outra e faz outra diferente. Essa incoerência básica ou hipocrisia é a responsável pelo estado de confusão, conflito, fracasso, ansiedade e diversos tipos de doença que vemos hoje.

Se você quiser ir além, pergunte para si mesmo: “Onde há mentira na minha vida?; Onde não estou sendo coerente com aquilo que digo, penso ou faço?” Veja também em que áreas (ou ainda relacionamentos) da sua vida existe desconforto e insatisfação, pois você encontrará incoerência e mentira.

Toda ação gera consequências, sejam positivas ou negativas. É uma lei natural. O que muitas vezes acontece é que, quando nos deparamos com uma situação difícil, nos esquecemos da ação inicial que tivemos para desencadear a situação, perdendo o nexo causal entre ação e reação. Isso pode ter ocorrido muito tempo atrás, mas ainda não foi compreendido e transformado, e, portanto, ainda influencia a nossa vida. É dito que o externo é uma expressão do mundo interno. Tudo aquilo que é construído externamente sem que haja lastro no interno é somente uma criação mental, uma ilusão. Essa falta de coerência sempre acarreta em sofrimento, cedo ou tarde.

Por outro lado, é a ação vinda do coração e da presença que traz, no seu devido tempo, coerência e um mundo externo saudável. Seja coerente e seja feliz!

 

 

 

 

ENGLISH   |   ESPAÑOL   |   PORTUGUÊS